Pesquisar este blog

16.1.10

Reprodução



na dormência do corpo
recobro pulsando, nas veias,
o tom do mundo

hoje não reconheço os tijolos
expostos de dores alheias,
os meus, em demolição,
são tão mais antigos

meu passado nada sabe
de meus dramas e de
meus açudes sangrados,
nada lhe falei de dores e patuás

regenero, com metálica força,
os degraus de meus tratados e
reitero os que julguei imundos

e abro, novamente, os braços
que tinha como rotos.



Patrícia Gomes
Imagem: Elton Fernandes

3 comentários:

ükma disse...

Adorei a estrofe dos tijolos e todo o resto!

Patrícia Gomes disse...

Valeu, Kümka!! ;oD

FláPerez (BláBlá) disse...

poxa...reitero o que julguei imundos....
ai, q coisa!