Pesquisar este blog

18.2.10

caminho do desespero




















trava duelos notívagos

na esperança de ocupar

lugares vagos

ou já ocupados

busca ser algo

revolta-se amarga

é manca

imagem pressentida

sem ter revelações

oferta-se ao nada

não é coisa alguma

borrada de riso falso

desaba no calo

é farsa

vencida qual animal ferido

declina sob o afã

de ser similar ao que critica

não é coisa nenhuma

seu silêncio é perfeito

antes ter câncer

do que ser-te, cadáver!

2 comentários:

Larissa Marques disse...

bonecas e fotografia de minha autoria!! (além do escrito, é claro)

FláPerez (BláBlá) disse...

que triste! vida vazia...