Pesquisar este blog

14.2.10

MORDAZ


preciso respirar
as mentiras suaves
que teus olhos contam

– não olha agora!–

não me encara assim
com esse afeto
sou só uma alucinação

– não olha agora!–

teu olhar arde;
quando desliza assim
pungente na minha pele

– não olha agora!–

não abre os olhos
não quero teus olhos
só o beijo que
deixa na língua
esse prazer mordaz...



(rosa cardoso)


4 comentários:

Patrícia Di Carlo disse...

Flor, que voz linda que vc tem!!!
Uau...
Aliás, o poema me lembrou Alice Ruiz, Muito bom!!

Xêros

ükma disse...

Entre mentiras suaves e beijo mordaz, fico com o beijo. Corrosão started.

Rosa Cardoso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rosa Cardoso disse...

Thanks.