Pesquisar este blog

8.4.10

Desfere



Arco entesado
desfiro a seta
e esbato frouxo
entre o gesto
e a meta

Entre a mosca
e o baque
tombo presa
na agonia
do achaque

gume preciso
risca o espaço
no viés da pena

Ah, seja pássaro
e do traço
rufle o poema

Iriene Borges da Silva

2 comentários:

Flá Perez (BláBlá) disse...

isso aqui:
desfiro a seta
e esbato frouxo
entre o gesto
e a meta


é de dar inveja!

Rosa Cardoso disse...

Adorei.