Pesquisar este blog

29.12.10

Esses versos não são nada claros

(mesmo intraduzíveis)

pois são inventados sempre à luz de velas
na cadência, escândalo
de um amor estranho
que nasce perfeito,
que me atravessa
(e é feito à distância)

E se ainda me desfaço em transes,
entrego todo o ouro
em solos de guitarra para celebra-lo

– ele, que nem sabe agora de quem falo –

Nenhum comentário: