Pesquisar este blog

27.1.09

espanhola






senhora,
tua sombra desliza
ninguém vê

o insólito e anacrônico
festim que sonhei
imaginei,
desenhei
desejei

acordei.
olhos abertos sorriso largo
lá fora a lua estava cheia,
a noite seria longa.

estava só.
inquieto e faminto.


era tão bom senti-la ao meu lado.
carregando minhas lembranças
dores e amores passados.

meu sorriso bobo
revela
amo teu corpo
brilhante encanto
em forma de mulher



2 comentários:

Jessiely Soares disse...

Que lindo poema!

Também tenho paixão por guitarras espanholas.

Acho que o Ruy vai amar quando ler.

Larissa Marques disse...

Já li no bar e disse que fiz alusão à morte, mas já sei que não tem muito a ver!
mesmo assim está belo!