Pesquisar este blog

23.7.09

Antropofágica

(Foto Rafael Iturrioz)


Meus poros
e pólos procriam
salivares assombros...

Nas mãos
arqueadas de sonhos
contenho fragmentados
desejos cardinais.

Sou má na medida
daquilo que já
não me cabe.

Sim, pois transbordo,
e cuspo no prato

dou costas
e a cara a tapas

abuso, eu deito e rolo
roendo da carne aos ossos
os meus

avatares imortais.


Agatha R.

3 comentários:

Larissa Marques disse...

adoro essa mulher!!!!!!
poema muito forte!

Malu disse...

rsss. La Marques é uma dama de língua ferina. Adoro!

(sheyladecastilhoº disse...

adorei!!!