Pesquisar este blog

7.9.09

Do que eu não sabia dizer




“Eu podia ser sua tara
A ferida que nunca sara
Te humilhar, te dar na cara
Mas eu estou falando de amor” (Leoni)


“Mas eu to falando de amor”
Aquele que você não encara
Da minha loucura rara
De olhar nos olhos e me expor,

Eu poderia ser a razão
para você se matar ou sumir
te dar a sobra de um arranhão
satisfazer sua tara e fingir,

“Mas eu to falando de amor”

É de amor que te falo somente
Do brotar, explodir e acalmar,
O chegar feito torrente
Em poesia de poeta que mente,

“Mas eu to falando de amor”

Não daquele que você pensa que sente.


imagem:http://www.pascucci.com.ar/enamorados.jpg

9 comentários:

Ruy disse...

Matou o réptil e mostrou a arma!

Maria Júlia Pontes disse...

Obrigada pela visita parceiro!
beijuuu

Patrícia Gomes disse...

Falar de amor não é nada fácil, ainda mais tão bem aliado à paixão, como vc colocou, Dinda!!
Parabéns!!
Xêros, frô!

Moniquinha disse...

Falar de amor é contrasenso... é bom mas é ruim, é doce mas é amargo, é começo e ao mesmo tempo é fim... mas é inevitável, senão vital. E vc o fez deliciosamente.

beijo!

Maria Júlia Pontes disse...

Obrigada Ruy, Paty e Moniquinha!!
VALEU A LEITURA E COMENTS.
BJOS

Maria Júlia Pontes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ricardo Passos disse...

UAU! Execelentemente bom, Maju. Rimado, cadenciado, bom conteúdo. Lápis muito bem apontado. Uma frase final impactante. Enfim, marcante.

Blá Blá disse...

mossa, que coisa linda esse diálogo.
o final foi tudo!é isso mesmo...

Poetisa disse...

é...amor é brotar, explodir que não acalma nunca...belos versos !