Pesquisar este blog

9.8.09

Sinestesia


*


Não somos parecidos
nem sequer nos desvarios e esquecimentos.

Um porto selvagem se perde além das nossas trincheiras
e o que resulta
além do arrastar uma areia espessa

é algo como um chuva
num chão devastado por
cores de serpentes e borboletas.

Tu és esfinge
eu sou apenas
o espectro

e ainda assim, não somos parecidos
nem sequer em nossas tormentas.

Caminhamos lado a lado
eu, fazendo escarcéu com o gosto do toque da névoa
e o teu rosto brincando de incendiar os belos
e mortos
pássaros de ar

que tu mesmo inventas.



(Jessiely Soares)

4 comentários:

Ruy disse...

Isso é, além de poesia, uma pintura.

Rosa Cardoso disse...

Lindo!

Anônimo disse...

Bela descrição!

Anônimo disse...

Bela descrição!