Pesquisar este blog

24.10.09

Tecelã



Horas a fio passo
Em tecidos nem tão maleáveis

A cardar e fiar...

Calejo os dedos que torcem e

Tentam agulhar os sentimentos claros

Calmos em que tento me emaranhar
Mas a roca roda num desatino hipnótico
E entre um grito surdo e um olhar súplice

Muitas vezes sinto o sorriso
Nascer úmido e ir, aos poucos
Se estampando forte

Numa figura escarlate.

Finalmente consigo parir o fio e

Desde o primeiro instante

Com afinco busco alinhavá-lo

E vou entretecendo palavras que
Já foram usadas, como num patchwork antigo

Remonto, nesse meu coser sem fim,

Novos mosaicos de mim...


Patrícia Gomes
Imagem: Fernando Figueredo

4 comentários:

FláPerez (BláBlá) disse...

que lindo!
postei hoje no PornoBar um com o tema costura tbm rs, mas não tem a ver com esse.
o seu é mais sentimento.alma.

Patrícia Gomes disse...

Obrigada, Flá, vou dar uma passada lá no Porno pra ler o teu... ;oD

Larissa Marques disse...

é, sou tecelã, costureira, cheia das prendas... com pouco tempo para elas!
belo texto!
Tá na hora de publicar!

Patrícia Gomes disse...

Ah, Larissa, como eu desejo publicar...
Uma hora chega a minha vez, tenho fé! ;o)
Obrigada, querida!