Pesquisar este blog

11.11.09

Willien Nidden - Flá Perez


Era um viking assim diferente,
quase elegante.

Um whitman que, de repente
pediu pra cuidar de mim
e nada ficou como antes.

Por certo causou - me estranheza
esse deus meio hyppie,
poeta caeiro,
com jeito de príncipe.

Mas ele foi como veio:
mansa mancha amarela
no olho pisado

de azul fera.

4 comentários:

Maria Júlia Pontes disse...

vc me lembra o Djavan algumas vezes,com outro mote é claro, mas o azuzinho tbém é explícito no seu escrito assim como no dele, muito legal isso. Já havia pensado?
gostei do poema.
duca!!!

Larissa Marques disse...

nussa! muito mara!
é feminino, explícito!
como gosto!

FláPerez (BláBlá) disse...

Não havia pensado nisso ainda Maju, mas me dá uma paz tamanha...e olha que nem é minha cor preferida...
Tava lendo outro dia o louco do Manuel de Barros, ele tbm insiste no azul.
Mas prefiro Djavan,rs
bjbjbj

FláPerez (BláBlá) disse...

Esse foi homenagem, Lari, pra um cara muito na minha vida.