Pesquisar este blog

5.4.10

Fascínio


Seria capaz de amar-te ainda hoje. E quanto mais amor fomentasses em mim, ódio maior eu sentiria. Que dor é esta que rivaliza minha fronte e desperta minha ira? Inconsciente dos teus dotes, infeliz do teu olhar que prendeste o meu. O que irás reservar para minha vida no dia seguinte à nossa verdadeira face descoberta?

Se vejo-te perfeito, tua cor denuncia mentiras nascentes e fontes impuras. Beberei de ti e me envenenarei. Negaste o meu direito de não acreditar em ti, Amor à primeira vista. Quis-te destruído, a face sangrada nas ruas empedernidas de minhas crenças negadas.

Vai-te.
Quero-te fora daqui, amor que me destrói o pulso e a coragem na vida conhecida.

Vai-te.
Quero-te negar o amor e a vida. Vê-lo longe, partido, vencido. Despido do fascínio que só sinto crescer.

Vai-te.
Quero-te ainda mais, quanto mais desdenho este querer.


PS: Este texto foi inspirado na magia dele. Sem sua dor, sua agonia e suas palavras esse texto não existiria. A personalidade múltipla que o pariu, deve seu nascimento à ti, Rod. Obrigada meu querido, por ser meu alter-ego.

8 comentários:

[ rod ] ® disse...

É uma honra que da minha loucura possa surgir um texto digno de aplausos e elogios! O querer é assim moça... um turbilhão de possibilidades possíveis ou não. Uma tormenta quase infantil ou quase mostruosa.

Um beijo à você e sua genialidade!

Andreza disse...

Lindo texto. Apaixonado, intenso, dolorido e belo.
O que mais machuca é esse esforço que fazemos para afastar o sentimento que insiste em nos perseguir de dentro pra fora.
Adorei.

Larissa Marques disse...

Seja bem vinda, Ana!
Somos um grupo amigo, comentamos nossas colegas de Falópios e divulgamos esse espaço!
Espero poder contar sempre com você!
Beijo!

Valvesta disse...

Vai-te.
Quero-te ainda mais, quanto mais desdenho este querer, ai amor que vai...
uma semana de paz e um grande abraço.

Flá Perez (BláBlá) disse...

que maravilha!

jefhcardoso disse...

Oi Ana! Tudo bom? Vi-lhe no diálogos e queria uma opinião sua em outro texto meu, “O Cavaleiro da Triste Figura”. Quando puder.

Abraço: Jefhcardoso

Obs. Tenho um poema cujo o tema é com o nome deste blog. (sorrio)

Daphne disse...

ana!
Como sempre Brilhante, não é?
as vezes eu acho que vc me descreve os sentimentos..

"Vai-te.
Quero-te ainda mais, quanto mais desdenho este querer."

she disse...

adorei ana...

mesmo.

beijos

sheyla