Pesquisar este blog

2.5.10

banquete






no quarto o lobo espera.
os olhos, fitos na porta,
brilham.
antecipando o prazer.




na sala, a moça treme,
os olhos, fitos na porta,
brilham.
antevendo as presas.




no quarto, o lobo brinca.
os olhos, fitos no vermelho,
brilham.
devorando a carne branca.




no quarto, a moça morre.
os olhos, fitos no vermelho,
brilham.
implorando uma última mordida.



rosa cardoso


4 comentários:

Ana Marques disse...

Rosa,

fiz um texto que lembra (ligeiramente) esse... o mote de chapeuzinho e sua interação com o lobo.

Mas aqui vc a deixa ansiosa em ser devorada. No meu falo de uma personagem ávida por carne e sangue humanos.

:)

Sempre visões que mostram a riqueza de um universo mítico.

Adorei. A expectativa chega aqui.
beijo

Rosa Cardoso disse...

A fábula original tem um viés mais sexy, tinha lido algo sobre o assunto na época em que fiz o poema e que conheci meu lobo.

Larissa Marques disse...

Rosa, adorei!

Joana Espain disse...

As fábulas sempre foram mais falubas que fábulas:)

Gostei muito do texto.

Abraço